População, profissionais da saúde e prefeitura fazem sua parte e Campinas ultrapassa 100 mil vacinados

Maioria segue o protocolo de usar máscara, higienizar as mãos e manter distanciamento social. Internações e mortes aumentam na população jovem e preocupam

fotos: ouroverdemais – A cidade de Campinas é destaque no país pelo trabalho realizado no combate contra a pandemia do coronavírus. Apesar do agravamento dos casos, com as UTIs dos hospitais Ouro Verde, Mário Gatti e HC Unicamp estarem com lotação máxima, a cidade passou a marca de 100 mil vacinados e bateu a meta de aplicar a primeira dose em todos os idosos acima de 85 anos. Se alguma pessoa nessa faixa etária, residente em Campinas, não foi imunizada por algum motivo, deve ligar no telefone 160 e explicar a situação. A vacinação começou no dia 11 de fevereiro.

Na tarde de domingo, 28/02 e nessa manhã, 06/03, o Ouro Verde Mais esteve no CAIC da Vila União e constatou que o sistema de vacinação está bem organizado. Desde a chegada do idoso, na triagem e na vacinação o trabalho realizado pela equipe de saúde está eficiente com bastante cuidado e humanização com o paciente. Isso dá ânimo e traz a certeza que, em breve, os casos de internação e óbito diminuirão.

Idosos no CAIC da Vila União, que recebe a população da região Ouro Verde e do Campo Grande para vacinação.
Duas senhoras (que por coincidência tem o mesmo nome: Maria) no CAIC para vacinação, uma moradora do Pe. Manoel da Nóbrega e a outra moradora do Campo Grande: esperança e elogios à equipe de saúde.

No ranking do governo do Estado, Campinas está entre as cidades que mais vacinaram. Está em segundo lugar, atrás apenas da capital, São Paulo.

Para pessoas consultadas pelo Ouro Verde Mais, e para o prefeito Dário Saadi, a rede da Secretaria de Saúde está de parabéns pelo trabalho. “Nosso sistema de agendamento está sendo muito elogiado. Não temos tido aglomeração nos centros de imunização por que as pessoas chegam com o dia e horário previamente agendados”, disse o prefeito.

A situação crítica das UTIs se deve principalmente pelo desrespeito da população mais jovem em aglomerações em festas clandestinas. Com a nova variante do coronavírus a população mais jovem, abaixo dos 60 anos, já apresenta aumento nas internações e nos óbitos. Nos três primeiros meses de pandemia, em 2020, Campinas registrou 34 óbitos nesta faixa etária; este ano, até o momento, já foram 54 mortes. O número de internações entre menores de 60 anos também aumentou 48%, passando de 344 para 713. Esses dados foram apresentados na manhã do último dia 4, na reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da cidade.

Hospital Ouro Verde apresenta 100% de lotação nos leitos de UTI covid.
Reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 no último dia 4. (foto: Fernanda Sunega).

“É um dado assustador e importante. O vírus não descansa, não podemos relaxar”, disse o prefeito. “É muito triste ver jovens sendo entubados, por isso todos temos que nos conscientizar de que o que estamos passando não é brincadeira, por isso, cuidem-se”, completou.

Atualmente o agendamento é para o público entre 77 e 84 anos. O agendamento é obrigatório e deve ser feito prioritariamente pelo site www.vacina.campinas.sp.gov.br ou pelo telefone 160.

No dia marcado, é obrigatório apresentar um documento de identidade com foto e um comprovante de endereço.

Como já é regra desde o início da campanha de imunização, só receberá vacina quem tiver agendado previamente. O vacinado já sai do centro de imunização com o agendamento marcado para tomar a segunda dose.

Locais de vacinação:

Centro de Vivência do Idoso

Avenida Dr. Heitor Penteado, s/n – Portão 5 da Lagoa do Taquaral

Emef Caic Zeferino Vaz

Rua José Augusto de Mattos, s/n – Parque Residencial Vila União

Casa da Criança Paralítica

Rua Pedro Domingos Vitali, 160 – Parque Itália

Clube Círculo Militar

Avenida Getúlio Vargas, 200 – Jardim Chapadão

Centro de Imunização Noroeste (antigo prédio da NAED Noroeste)

Rua Augusta Parreira Belintani, s/nº – Vila Castelo Branco