Transporte público tem queda de 80% no número de passageiros

O monitoramento do sistema de transporte público realizado pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) aponta que, durante a quarentena, a queda no número de passageiros alcançou o pico de 78,9%, registrado na última quarta-feira, 25 de março. A queda no número de passageiros era visível tanto no Terminal Ouro Verde, quanto no terminal Campo Grande, Itajaí e Vida Nova, no sábado, dia 28 de março.

Terminal Campo Grande, na tarde do sábado, 28 de março.

O percentual representa a comparação ao número registrado na quarta-feira da semana anterior à quarentena. No dia 11 de março, foram 562.066 passageiros transportados (passagens pela catraca). Já no dia 25 de março, o sistema registrou 118.420 passageiros.

“Os números revelam que os cidadãos estão seguindo as orientações das autoridades sanitárias, colaborando para conter a pandemia do novo coronavírus. E revelam ainda que os ajustes operacionais promovidos pela Emdec na frota de transporte público foram acertadas”, explica o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

O município adotou estado de quarentena no último dia 23 de março. Desde então, o sistema de transporte público opera com frota mínima. No período de 23 a 31 de março, a Emdec computou 731.207 passageiros transportados. Na semana anterior ao distanciamento social, 5 a 11 de março, foram 3.223.537 pessoas transportadas.

O Terminal Vida Nova vazio. Também na tarde do sábado (28)

A comparação entre os dois períodos mostra que o índice de redução no número de passageiros é de 77,3%. Considerando o mesmo período do mês de março de 2019, quando foram 3.242.165 passageiros transportados, a redução registrada na quarentena chega a 77,4%.

Por isso, a Emdec reforça a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que as pessoas evitem sair de suas casas, utilizando o sistema de transporte público e terminais apenas em caso de extrema necessidade. “A prioridade, neste momento, é garantir a oferta de transporte para a população que presta serviços essenciais na cidade”, completa o secretário de Transportes.