Ouro Verde tem fiscalização e orientação à população

Visando a prevenção e educação da população para prevenir a circulação do novo coronavírus, foram distribuídas 1.500 máscaras e mil frascos de álcool gel

Fotos: Gilson Machado/PMC – Em operação de fiscalização e conscientização na manhã de sexta-feira, dia 22 de maio, no Jardim Aeroporto, região do distrito do Ouro Verde, a Prefeitura notificou 12 estabelecimentos comerciais a fecharem as portas porque estavam descumprindo o decreto que estabeleceu a quarentena em Campinas.

A ação envolveu a Guarda Municipal, Vigilância em Saúde, Defesa Civil, Emdec, Procon, Setec, Departamento de Urbanismo e Sanasa. A atividade começou às 10 da manhã e partiu da Praça Emil Rached. Segundo a Guarda, mais de duas mil pessoas foram abordadas, que se prolongou até o começo da tarde.

Visando a prevenção e educação da população para prevenir a circulação do novo coronavírus, também foram distribuídas 1.500 máscaras de tecido e mil frascos de álcool gel.

Conscientização

Além da fiscalização, a ação teve objetivo de conscientizar a população e os comerciantes para que sigam a recomendação de isolamento social durante a epidemia de Covid-19. 

Funcionários da Sanasa distribuíram mil frascos de 60 ml de álcool em gel e orientaram a população sobre a importância dos cuidados pessoais. A ação integrada teve também a distribuição de 1.500 máscaras por equipes da Defesa Civil e da Guarda Municipal.

“É uma área de muitos comércios abertos que deveriam estar fechados neste período, as pessoas ainda não entenderam que precisam ficar em casa”, enfatizou o comandante da Guarda Municipal de Campinas, Márcio Frizarin. “Com esta operação centralizada por diversos órgãos, esperamos que a população entenda que estamos fazendo o que é necessário para que a gente possa diminuir ou até acabar com os casos de Covid-19 em nosso município”, complementou.

Balanço

Doze estabelecimentos de comércios e serviços que não se enquadram na categoria de serviços essenciais ou que estavam descumprindo os termos do decreto da quarentena foram fechados.

A Vigilância Sanitária, da Secretaria Municipal de Saúde, realizou 75 fiscalizações e orientações e determinou o fechamento de três salões de cabeleiro e barbearia que se enquadram nas atividades que não estão autorizadas a atender ao público. Os outros comércios foram orientados sobre o cumprimento dos termos do decreto, como demarcações para distanciamento, entregas, uso de equipamentos de proteção individual, delimitação de pessoas a serem atendidas.

O setor de fiscalização do Departamento de Urbanismo da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo (Seplurb) lavrou 43 intimações para apresentação de alvará de funcionamento e cumprimento do decreto 20.782/2020. Do total, cinco estabelecimentos foram fechados por não serem permitidos funcionar e 16 foram orientados sobre o cumprimento das normas funcionamento durante a pandemia.

Os agentes da Setec também notificaram o fechamento de quatro estabelecimentos de permissionários por estarem vendendo produtos alimentícios para consumo no local, o que é proibido pelo decreto, que permite apenas retirada e entrega.

Os fiscais do Procon também orientaram 24 estabelecimentos sobre o cumprimento das medidas da quarentena e do Código de Defesa do Consumidor. A Guarda Municipal registrou 52 ocorrências de medidas sanitárias, ao acompanhar o trabalho dos servidores públicos envolvidos na operação.