Hospital contra coronavírus será no Patrulheiros; Ações emergenciais ganham força

Início do funcionamento deve acontecer em até quatro semanas. O anúncio foi feito nesta tarde em transmissão ao vivo na internet 

fotos: Carlos Bassan/PMC e divulgação – A prefeitura informou que fez uma parceria com a ONG Expedicionários da Saúde foi formalizada, e nesta tarde, em transmissão ao vivo na internet, anuncio que um hospital de campanha será montado no prédio dos Patrulheiros, no Parque Itália. A prefeitura estipula que a montagem será iniciada nos próximos dias e o início do funcionamento deve acontecer em até quatro semanas.

A gestão ficará por conta da Rede Mário Gatti e a contratação de profissionais será feita por parcerias que estão sendo alinhadas juridicamente.

A previsão é que o hospital tenha 108 leitos. Na ginásio serão 36 leitos. E em dois prédios anexos ao ginásio serão instalados 12 quartos com capacidade para abrigar seis leitos em cada. Serão atendidos casos de menor complexidade. Haverá cinco leitos de UTI para pacientes que tenham piora em seu estado clínico e precisem de estabilização antes de serem transferidos para outras unidades.

O hospital só receberá pacientes encaminhados pela Central de Regulação. Não serão atendidas demandas espontâneas.  

Custos

O custo da montagem é de cerca de R$ 6,5 milhões e serão pagos pela ONG.  A estrutura contará com rede de gases, leitos, monitores e respiradores.

Quando a estrutura estiver completa, os gastos serão de R$ 3,9 milhões por mês, que serão destinados a compra de alimentos, insumos, pagamento de pessoal, exames, entre outros. Inicialmente, para o funcionamento dos 36 leitos do ginásio, a estimativa é de R$ 1,5 milhão por mês. Os recursos serão repassados pelos governos estadual e federal.

O local foi cedido pelos Patrulheiros, sem cobrança de aluguel.  Por isso, o prefeito Jonas Donizette anunciou que, durante o funcionamento do hospital, vai isentar o centro educacional de pagamento de água e IPTU. A conta de energia elétrica será paga pela Rede Mário Gatti.

O prédio dos Patrulheiros fica Avenida das Amoreiras, 906, próximo ao Hospital Mário Gatti e ao Ambulatório Médico de Especialidades (AME).

Ações emergenciais se intensificam

Durante a live, foram destacadas também as medidas emergenciais na área de assistência social que estão em vigor por conta da pandemia do novo coronavírus. O segundo abrigo emergencial para pessoas em situação de rua iniciou a operação na segunda-feira, 13 de abril, no Ceprocamp. 

A secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Eliane Jocelaine Pereira, participou da live e contou que o local, que geralmente serve para cursos na área de educação, foi adaptado para receber colchões, mesas e chuveiros para abrigar as pessoas em situação de rua. “Começamos a receber as primeiras pessoas no abrigo”, disse a secretária Eliane Jocelaine Pereira”. 

Cartões NutriCampinas

A secretária também abordou os novos cartões do programa de segurança alimentar NutrirCampinas, que começarão a ser distribuídos no dia 17 de abril, como medida emergencial à pandemia do coronavírus e poderão ser utilizados por até 90 dias. 

As famílias cadastradas estão recebendo o aviso de horário e local para retirar o cartão, que já estará desbloqueado para uso. A novidade é que além de gêneros alimentícios, o cidadão também poderá comprar produtos de higiene pessoal e limpeza. 

Além do cartão Nutrir, o trabalho na área de segurança alimentar junto ao Banco de Alimentos e do Instituto de Solidariedade para Programas de Alimentação (ISA) continuam a receber doações de alimentos e busca a ampliação de pontos de distribuição. O Exército vem ajudando na separação, higienização e distribuição desses alimentos. 

O Governo do Estado também está doando 37 mil cestas básicas que serão levadas ao Banco Municipal de Alimentos. 

Informações no Banco Municipal de Alimentos: (19) 3746-1720/ 21.