Briga iFood X Rappi por entregas

Estão proibidos contratos de exclusividade com restaurantes e bares

foto: Rovena Rosa/Agência Brasil – Após o iFood querer fazer contratos de exclusividade com restaurantes, lanchonetes e bares, impedindo assim, o estabelecimento fazer entregas com motoboys de outras empresas, o Rappi entrou na justiça para barrar a ideia do concorrente. A plataforma Uber Eats também contribuiu no processo, reforçando as reclamações do Rappi.

Hoje, o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) decidiu por proibir o iFood de alterar contratos já existentes para incluir uma cláusula de exclusividade e também de fazer novos contratos de exclusividade com restaurantes e bares. A decisão foi tomada como uma medida preventiva pela Superintendência Geral enquanto analisa denúncias de medidas anticompetitivas. 

O órgão constatou que o iFood possui grande participação de mercado e se beneficia da tática de contratos com exclusividade. Mas a investigação ainda está em curso e o Conselho se reunirá para uma decisão definitiva. 

A principal estratégia empregada pelo iFood para impor obstáculos a outras plataformas de entrega seria justamente a celebração de contratos com cláusulas de exclusividade com restaurantes e outros estabelecimentos, como lanchonetes.