Síndrome gripal em crianças eleva em 5 vezes procura na Rede Mário Gatti

Número de atendimentos é cinco vezes maior que o normal em hospitais e UPAs municipais de Campinas, desde dezembro último

foto: Ouro Verde Mais – Campinas está passando por alto nível de síndrome gripal. As unidades da Rede Mário Gatti de Urgência, Emergência e Hospitalar de Campinas registram aumento consistente no atendimento de crianças com sintomas gripais. As consultas nos hospitais municipais Mário Gatti e Ouro Verde e nas unidades de pronto atendimento já representam 65,6% dos atendimentos pediátricos ocorridos em abril.      

De um total de 17.353 crianças que buscaram assistência médica na Rede até ontem, 27 de abril, 11.368 apresentavam síndromes respiratórias. O aumento de atendimentos pediátricos vem sendo observado desde o final do ano, com número de atendimentos cinco vezes maior que o normal para o período e, com isso, antecipando o período de sazonalidade das doenças respiratórias, normalmente iniciado no Outono.    

Em fevereiro, os hospitais Mário Gatti, Ouro Verde e UPAs atenderam por dia, em média, 278 crianças com síndromes respiratórias; em março, a média diária foi de 407; e em abril, 421. Essa crescente demanda reforça a necessidade dos pais levarem seus filhos para vacinar contra doenças como gripe e covid-19, e também o uso de máscaras nas escolas, medidas eficientes na prevenção de doenças respiratórias agudas graves.     

síndrome gripal
De um total de 17.353 crianças que buscaram assistência médica na Rede até ontem, 27 de abril, 11.368 apresentavam síndromes respiratórias. (Crédito: Eduardo Lopes)

Neste próximo sábado, dia 30 de abril, Campinas realizará o Dia D de vacinação das 8h às 17h, em 35 unidades de saúde, contra gripe, sarampo e covid-19 para grupos contemplados. Crianças de seis meses e menores de 5 anos podem se vacinar contra a gripe e sarampo, e as maiores de cinco anos, contra a covid-19. Mais informações estão no link https://vacina.campinas.sp.gov.br/vacinas/gripe.    

Síndrome Gripal – Medidas preventivas    

“Os casos covid-19 reduziram bastante, mas as medidas de prevenção adotadas na pandemia _ como uso de máscara, lavagem das mãos e álcool em gel _, precisam continuar também no enfrentamento das síndromes respiratórias agudas graves”, disse o presidente da Rede Mário Gatti, Sérgio Bisogni.    

A maioria das crianças internadas tem menos de dois anos de idade e está com bronquiolite, doença provocada pelo vírus sincicial. “O uso de máscaras nas escolas tem que ser mantido. Não pode haver relaxamento enquanto o período de sazonalidade das doenças respiratórias não passar, porque corremos o risco de faltar leitos para atendimento. Crianças sem máscaras nas escolas podem ser infectadas e levar os vírus respiratórios para casa e transmitir para os irmãos menores”, observou Bisogni.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.