Novos Horários para comércio e serviços a partir deste sábado 1º de maio, confira

Com decreto publicado, Campinas avança na fase de transição do Plano SP e estabelecimentos podem funcionar das 6h às 20h

As lojas de rua e shoppings centers, restaurantes e similares, academias, salões de beleza, igrejas e atividades culturais, a partir desse sábado – 1º de maio – poderão ampliar o horário de funcionamento das 6h às 20h. Com isso, A cidade tem novos horários para comércio e serviços. A medida é possível após o Governo de SP anunciar no dia 28 a ampliação do horário de funcionamento na fase de transição, de acordo com o Plano SP. Com isso, a prefeitura de Campinas publicou um novo decreto (hoje, sexta 30), sancionando as regras para os estabelecimentos da cidade.

Nesta fase, os bares continuam proibidos de realizar atendimento presencial. Esses estabelecimentos podem manter apenas os serviços de delivery e drive trhu. “Estamos em um momento de transição e o Estado caminha para uma mudança de fase no Plano São Paulo. A flexibilização que está sendo feita é com base nos números que temos, que possibilitam que haja uma maior flexibilização, tanto do horário dos serviços como do Toque de Recolher”, explicou o secretário de Justiça, Peter Panutto.

Importante ressaltar que os estabelecimentos necessitam respeitar a capacidade de 25% de lotação máxima e respeitar o distanciamento de no mínimo 1 metro e meio entre as pessoas. E o uso de máscara continua obrigatório. Outra medida que permanece é o toque de recolher em Campinas, que começa às 20h e termina às 5h do dia seguinte.

A prefeitura já havia ampliado os horários desde a última terça, saiba mais.

A ampliação é mais um alívio para o comércio, que amarga prejuízos desde o agravamento dos casos de covid-19 na cidade. Principalmente nessa semana que antecedo o dia das mães, que é a segunda melhor data no ano em vendas para as lojas.

Novos Horários para comércio e serviços

Os novos horários valem até dia 09 de maio, quando o Governador João Dória realizará uma coletiva para divulgar uma nova classificação do Plano SP.

O que pode funcionar entre 6h e 20h:

– comércios e serviços, inclusive galerias e estabelecimentos congêneres;

– shopping centers;

– atividades religiosas presenciais;

– restaurantes e similares, exceto bares;

– salões de beleza, barbearias, clínicas de estética e congêneres;

– atividades culturais, tais como museus, galerias, centros culturais, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos;

– parques públicos, das 6h às 18h;

– clubes sociais;

– academias de esporte de todas as modalidades e centros de ginástica;

– cursos do setor de educação não-regulada, assim entendidos aqueles que não dependem de regulação direta pelos órgãos estatais de educação, tais como idiomas, informática, formação complementar, aulas práticas de autoescola e artes em geral, inclusive cursos de dança, música e teatro;

– áreas comuns dos condomínios e hotéis, tais como quadras de esportes, piscinas, academias e salões de festas.

Vacinação em Campinas

Hoje, 30/04 a prefeitura divulgou os dados da vacinação em Campinas. No No balanço consta que já foram aplicadas 313.613 doses da vacina contra a Covid. Desse total, 193.573 pessoas receberam a primeira dose e 120.040 a segunda. Saiba mais aqui.

A pandemia do coronavírus ainda gera muita incerteza por parte de todos com informações boa e ruins ao mesmo tempo. Hoje, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) divulgou que 673 municípios ficaram sem vacina para a primeira dose nesta semana no Brasil.

A pesquisa analisou também se os sistemas de saúde locais estão com filas de espera para leitos em Unidades de Terapia Intensiva. Este problema vem ocorrendo desde o avanço da segunda onda da pandemia no país.

Idosos no cento de imunização na Vila União. (foto: OuroVerdeMais)

Entre 533 cidades com Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), 119 relataram estar com pessoas em fila de espera. Esse número corresponde a 22,3% deste universo analisado.

Por outro lado, a Organização Mundial de Saúde divulgou que as internações e mortes por covid-19 começaram a diminuir após quatro semanas de infecções desaceleradas no Brasil.

“Os casos agora diminuíram por quatro semanas consecutivas, e as internações e mortes também estão diminuindo. Isso é uma notícia boa e esperamos que essa tendência continue”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva.

Mesmo assim, ele descreveu uma situação grave no país, que nesta semana se tornou o segundo a ultrapassar a marca de 400 mil mortes por covid-19, depois dos Estados Unidos.

“Desde o início de novembro, o Brasil vive uma crise aguda, com o aumento dos casos da doença, internações e óbitos, inclusive entre os mais jovens. Durante o mês de abril, as unidades de terapia intensiva estiveram quase em capacidade máxima em todo o país”, afirmou.

Ontem, quinta-feira, o Brasil atingiu a triste marca de 400 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia. A primeira morte foi em 17 de março de 2020.