Livros em formato acessível estão disponíveis pela internet

Ação da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do estado conta com 13 obras literárias em libras, legenda, áudio e imagem

foto: divulgação – Com o objetivo de proporcionar o acesso de pessoas com deficiência ao mundo da literatura, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD) disponibiliza em seu site 13 obras literárias acessíveis em formatos variados (libras, legenda, áudio, imagem e leitura simples).

A ação da SEDPcD, em parceria com o Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) e a ONG Mais Diferenças, garante o acesso de todas as pessoas aos livros acessíveis, que possuem diversos recursos de acessibilidade, como narração e texto em português, audiodescrição e animação das imagens, tradução e interpretação em Libras e leitura fácil – que traz adequações em relação à linguagem, conteúdo e forma para ampliar a compreensão.

A secretária Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Célia Leão, ressaltou a importância da iniciativa. “É possível viajar por meio da leitura, conhecer um mundo novo, novas descobertas. Além de mais conhecimento e cultura, a boa leitura, dá asas à imaginação. Leitura é liberdade. Esse é mais um atendimento com respeito que o Governo de São Paulo disponibiliza”, disse.

Acesso

As obras, que podem ser acessadas pelo endereço eletrônico www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/livros-acessiveis, contribuem com a equiparação de oportunidades e o fortalecimento das políticas, programas e projetos relativos aos direitos das pessoas com deficiência, com ênfase no acesso ao livro e à leitura, introduzindo a questão da acessibilidade e inclusão, de forma articulada e transversal.

A iniciativa prevê ainda a realização de oficinas de formação e sensibilização de profissionais da educação, cultura, assistência social, bibliotecários, mediadores de leitura e outros profissionais interessados às práticas acessíveis e inclusivas voltadas ao contato com livros.

Livros disponíveis

  • “Uma Nova Amiga”, de Lia Crespo;
  • “Serei Sereia?”, de Kely de Castro;
  • “O Discurso Do Urso”, de Julio Cortázar;
  • “O Menino No Espelho”, de Fernando Sabino;
  • “A Bolsa Amarela”, de Lygia Bojunga;
  • “Frritt Flacc”, de Júlio Verne;
  • “Bem Do Seu Tamanho”, de Ana Maria Machado;
  • “Sei Por Ouvir Dizer”, de Bartolomeu Campos de Queirós e Suppa;
  • “Volta Ao Mundo Em 80 Dias”, de Júlio Verne;
  • “Peter Pan”, de J. M. Barrie;
  • “As Cores No Mundo De Lúcia”, de Jorge Fernando dos Santos;
  • “O Menino Azul”, de Cecília Meireles e Lúcia Hiratsuka;
  • “Kafka E A Boneca Viajante”, de Jordi Sierra I Fabra.