Hospital Maternidade de Campinas pede doações para Banco de Leite

Por mês são necessários 200 litros para suprir a necessidade da UTI e da UCI Neonatal. As doadoras não precisam ir ao hospital para a coleta, pois os frascos de leite são retirados nas residências

fotos: Weverson Felipe – O Hospital Maternidade de Campinas está antecipando a campanha de doação de leite materno para garantir o estoque necessário para o atendimento dos 62 leitos de sua UTI – Unidade de Terapia Intensiva – e da UCI – Unidade de Cuidados Intermediários – Neonatal. O estoque atual é de 139 litros. No entanto, o ideal é manter pelo menos 200 litros disponíveis para o atendimento dos recém-nascidos que requerem cuidados especiais.

As doadoras só precisam ir até o Hospital Maternidade de Campinas uma única vez para realizar o exame de sangue, necessário para a verificação de sorologias de Sífilis, Hepatites B e C, doença de Chagas, HTLV (Vírus Linfotrópico da Célula Humana) e HIV (Aids). A coleta do leite é feita pelas próprias mães, em suas residências. Uma vez por semana o hospital encarrega-se de fazer a retirada dos frascos. São atendidas também doadoras que moram em municípios vizinhos. No entanto, como o Banco de Leite utiliza o único veículo disponível para todos os demais setores e serviços do hospital, é priorizada a coleta em municípios onde haja mais de uma doadora.

Armazenamento. Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade de Campinas.

Como doar

Para ser doadora é necessário que a mulher seja saudável, que esteja amamentando o próprio filho e que tenha uma produção excedente de leite após a mamada. O primeiro passo é fazer o agendamento prévio para o cadastramento e realização do exame pelo telefone (19) 3306-6039. Tudo é gratuito.

A realização do exame é rápida, pois se trata apenas de uma coleta de sangue. O atendimento é feito apenas às quintas-feiras, das 12h às 14h, no ambulatório da Av. Francisco Glicério, nº 1913. Esse ambulatório está sendo utilizado exclusivamente para o atendimento às lactantes, a fim de que elas não tenham qualquer contato ou acesso ao hospital. Os agendamentos respeitam períodos de meia hora para, inclusive, não haver mais do que uma ou, no máximo, duas mães no local no mesmo momento.