GM acaba com festa no Ouro Verde com 3 mil pessoas

Operação dispersa 21 mil pessoas em 51 festas durante o fim de semana. Maioria era jovens que consumiam álcool e drogas

fotos: Divulgação/Guarda Municipal de Campinas – A Operação Sem Carnaval da Prefeitura de Campinas dispersou por volta de 21 mil pessoas, que estavam em 51 festas clandestinas e situações de aglomeração em diversas regiões da cidade entre a noite de sexta-feira, dia 12 de fevereiro, até a madrugada de ontem para esta segunda-feira, dia 15 de fevereiro. A força-tarefa reuniu os órgãos de fiscalização do município, a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

Jovens em chácara no Ouro Verde: Álcool e drogas no local.

 Segundo o comandante da Guarda Municipal de Campinas, Márcio Frizarin, os eventos reuniram jovens aglomerados, sem cuidados de higiene ou uso de máscaras. As medidas sanitárias para prevenção e combate à pandemia da Covid-19 foram fiscalizadas.

“Na região do Ouro Verde, no sábado à noite, fizemos uma intervenção que acabou com uma festa clandestina com mais de três mil pessoas, com pessoas até vindas de outras cidades e outros Estados. Foi uma intervenção rápida, sem o uso de força”, explicou o comandante Márcio Frizarin. 

Cerca de 3 mil jovens foram dispersados pela GM em festa clandestina no Ouro Verde.

O balanço da ação do último final de semana também inclui:

  • 105 ocorrências de perturbação do sossego público;
  • 42 situações que se enquadraram na Lei do Pancadão (som alto em veículos), que resultou na apreensão de 10 carros e uma moto;
  • 152 autuações de trânsito em locais de pancadão e aglomeração de pessoas;
  • 45 orientações sobre o descumprimento das medidas sanitárias;
  • 57 fechamentos de locais que não cumpriam as medidas sanitárias (pessoas sem máscara, falta de álcool em gel, falta de distanciamento social);
  • 2 autuações por falta de máscara de proteção individual;
  • 1 roubo a pedestre, em que uma pessoa foi presa e um celular recuperado;  
  • 1 carro apreendido, ocorrência em que o motorista foi preso por estar dirigindo embriagado. 

Além destes números da Guarda Municipal e da Emdec, a Secretaria de Planejamento e Urbanismo, Vigilância Sanitária e Setec vistoriaram outros 141 estabelecimentos comerciais, que resultaram em 24 intimações, 25 multas e 13 fechamentos também entre sexta-feira à noite e a madrugada desta segunda-feira. 

Os estabelecimentos que não cumprem as orientações sanitárias contra o novo coronavírus recebem multa no valor R$ 1.515,44. Em caso de reincidência, a multa dobra.

Valor da multa de carro flagrado com som alto pela Lei do Pancadão é de R$ 1.894,30. Legislação prevê que, em caso de reincidência, a multa dobra e depois quadruplica. Também podem ser aplicadas penalidades de trânsito, como se o veículo estiver estacionado em lugar proibido, em cima de calçada, por exemplo. A pessoa também paga as taxas de guincho e diárias de permanência no pátio.

A Prefeitura de Campinas possui um canal de comunicação, o telefone 156, para recebimento de denúncias da população. A Guarda Municipal também pode ser acionada sobre as irregularidades pelo telefone 153.

Carro apreendido no último fim de semana.