Gaeco deflagra 3ª fase da Operação Ouro Verde contra desvios na saúde

Secretário municipal de Campinas foi exonerado do cargo

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou nesta quinta-feira (22/11) a 3ª fase da Operação Ouro Verde, que investiga desvio de verbas públicas na área da saúde. Contando com o apoio da Polícia Militar, as ações acontecem em São Paulo, Campinas, Serra Negra e Jundiaí. Sílvio Bernardin, secretário municipal de Assuntos Jurídicos de Campinas e um dos alvos da operação, teve prisão decretada e foi exonerado do cargo.

Ao todo, estão sendo cumpridos 8 mandados de prisão e 11 de busca e apreensão. Entre os presos estão Thiago Neves, diretor da Vitale, organização social que administrava o Hospital Ouro Verde. A Vitale era utilizada para a obtenção indevida vantagem patrimonial, possibilitadas pelo desvio sistemático de recursos públicos. Segundo o Gaeco, os valores desviados do Hospital Ouro Verde chegam a R$ 7 milhões.

De acordo com membros do Gaeco, dois ex-diretores do Hospital Ouro Verde e quatro empresários também estão entre os investigados. Um mandado de prisão foi lavrado contra Sylvino de Godoy Neto, dono do jornal Correio Popular, apontado como integrante do esquema.

Danilo Silveira, Felipe Brás e João Carlos da Silva Júnior também foram detidos.