CORONAVÍRUS: Casos aumentam, Campinas volta à fase vermelha e Hospital Ouro Verde terá novos leitos

Medida começa na segunda, 6; Cidade tem 7.414 pessoas que se recuperaram, 9.308 casos confirmados e 355 óbitos

fotos: divulgação/PMC – Campinas passou para a Fase Vermelha, conforme determinação do Plano São Paulo, do governo do Estado de São Paulo. A medida, que entra em vigor na segunda-feira, 6 de julho, foi anunciada pelo prefeito Jonas Donizette, na manhã desta sexta-feira, 3 de julho.

“Campinas foi reclassificada para a Fase Vermelha, pelas regras do Estado, e voltará a funcionar com os serviços essenciais. Embora estivéssemos na Fase Laranja, já havíamos restringido o funcionamento do comércio”, disse o prefeito.

De acordo com o secretário municipal de Assuntos Jurídicos, Petter Panutto, um decreto com o detalhamento das atividades essenciais que poderão funcionar será publicado em edição extraordinária neste sábado, 4 de julho. Como atividades essenciais, volta a valer o que foi estabelecido no dia 21 de março, pelo decreto 20.782. A cidade permanecerá nesta Fase até nova avaliação. 

Os templos religiosos poderão permanecer abertos, com 20% da capacidade, mas maiores de 60 anos e pessoas com doenças prévias, não devem ir. A recomendação é de que os cultos sejam virtuais.   

Para quem descumprir as medidas, seja o de abrir ou não seguir as regras sanitárias, haverá multa de 400 UFICs, o que equivale a R$ 1.446,44. Em caso de reincidência, a multa dobra, e na terceira autuação o estabelecimento é fechado enquanto durar a quarentena.

O prefeito Jonas Donizette no Hospital Ouro Verde
Leitos no Hospital Ouro Verde: Previsão é de aumento de casos em Campinas

Leitos no Hospital Ouro Verde  

Apesar de não anunciar durante a live, a prefeitura projeta novos casos de COVID-19 e sem previsão de quando atingiremos o pico da doença. Autoridades da saúde admitem que a solução será somente com a vacina. Sem ela, as medidas de isolamento social, uso de máscara e higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel 70% são fundamentais.

No Hospital Ouro Verde estão sendo montados dez leitos de UTI e 38 de retaguarda para Covid-19 no Hospital Ouro Verde. Com isso, o hospital contará com um total de 55 leitos UTI Covid e 84 leitos de retaguarda Covid. 

O custeio dos leitos é de cerca de R$ 5 milhões por 60 dias. A Prefeitura vai utilizar R$ 2 milhões repassados pela Câmara de Vereadores, fruto de economia da casa. Atualmente, o Hospital Ouro Verde conta com 45 leitos de UTI Covid e 46 de Enfermaria Covid.

Números preocupam

O município tem 9.308 casos confirmados da doença (ontem, dia 2 de julho, eram 8.995, ou seja, são 313 a mais). Há 602 casos em investigação (eram 628, são 26 a menos) e 14.920 casos foram descartados (eram 14.025, são 895 a mais). Também estão sendo investigados 30 óbitos (três a mais). 

Do total de casos confirmados, 7.414 pessoas já se recuperaram (eram 7.083, são 331 a mais), 424 estão internadas (duas a mais) e 1.115 estão em isolamento domiciliar (eram 1.147, são 32 a menos). Mais informações podem ser acessadas no covid-19.campinas.sp.gov.br/