Alunos e professores da rede estadual receberão 750 mil chips com internet gratuita

Ação visa manter os estudos e trabalhos escolares remotamente durante a pandemia

foto: ouroverdemais – São Paulo vai distribuir cerca de 750 mil chips de telefone celular para alunos, professores e servidores da rede estadual para garantir conexão à internet para o ensino remoto e híbrido, entre outras atividades pedagógicas online.

Serão 250 mil unidades mensais destinadas para professores e servidores, com 5 gigas de internet, além de acesso a ligações e mensagens de SMS. Os 500 mil chips mensais para os alunos terão 3 gigas de internet e vão atender os estudantes mais vulneráveis.

Ao subsidiar o item para os professores, o Governo de São Paulo pretende colaborar com o processo de busca ativa dos alunos e minimizar a possibilidade de abandono e evasão escolar que podem ocorrer por conta do período da suspensão das aulas presenciais, devido à pandemia do coronavírus. O investimento para esta ação é de R$ 75 milhões, para 12 meses.

Por meio do programa, o Governo de São Paulo também incentiva o desenvolvimento das atividades pedagógicas fora da sala de aula presencial, imprescindível em um mundo globalizado.

Receberão os chips alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental e de todas as séries do ensino médio, em situação de pobreza e extrema pobreza no CadÚnico. A distribuição ocorrerá nas Diretorias de Ensino e escolas, entre os meses de novembro e dezembro.

Professor Conectado

Outro programa criado pelo estado, o Professor Conectado visa incentivar o uso da tecnologia como ferramenta pedagógica. O programa vai apoiar a compra de computadores para 161 mil professores e coordenadores pedagógicos que atuam na rede estadual de São Paulo. O investimento para a compra de computadores será de R$ 322 milhões ao longo de dois anos.

A adesão à iniciativa será a partir de novembro e serão priorizados os professores em sala de aula e professor coordenador pedagógico, concursados e temporários. Uma próxima etapa do programa Professor Conectado contemplará diretores e outros profissionais do magistério.

A Secretaria de Estado da Educação irá pagar o subsídio parcelado de até R$ 2 mil para os professores que cumprirem as condicionalidades de presença e formação. Será feita a transferência de até 24 parcelas no valor de R$ 83 para a conta bancária do docente. Caso o profissional opte por um equipamento de valor superior, precisará arcar com o custo extra.